Trabalho de recuperação de viciados realizado pelas igrejas é defendido por Magno Malta e Marcelo Aguiar

Home / Câmara / Trabalho de recuperação de viciados realizado pelas igrejas é defendido por Magno Malta e Marcelo Aguiar

magnoemarcelo

Senador Magno Malta (PR/ES) criticou em Plenário a manobra do governo em retirar a atividade religiosa da recuperação de dependentes químicos. “Lamento que o Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas prepare uma resolução pela qual as comunidades terapêuticas não poderão mais falar sobre religião com os pacientes”, protestou Malta.

As comunidades terapêuticas, entendidas como instituições de atendimento ao dependente químico, não governamentais, em ambiente não hospitalar, com orientação técnica e profissional, onde o principal instrumento terapêutico é a convivência entre os residentes, surgiram no cenário brasileiro, ao longo dos últimos quarenta anos, antes mesmo de existir qualquer política pública de atenção à dependência química no país. Elas cresceram, multiplicaram-se e ocuparam espaços na medida em que inexistiram programas e projetos de caráter público que oferecessem alternativas para o atendimento às pessoas dependentes de substâncias psicoativas.

Para Magno Malta, isto constitui uma agressão à liberdade de culto, além de um grave desconhecimento da realidade dos dependentes e um desrespeito às pessoas que empenham suas vidas ao serviço do próximo. “Sem o terceiro setor, sem o apoio das religiões e dos movimentos sociais, os usuários de drogas estariam cada vez mais abandonados. O governo é omisso e não quer deixar os dedicados voluntários agirem em defesa da vida”, disse Malta.

“Eu não conheço ninguém que o Conselho de Medicina recuperou. Eu não conheço ninguém que foi recuperado pelo Ministério Público. Eu não conheço ninguém que o governo Dilma recuperou. Eu não conheço ninguém que o SUS recuperou. Eu conheço milhões, milhares nesse país que foram recuperados pela fé, pela pregação do Evangelho”, afirmou o senador.

“É um absurdo a manobra do governo através do CONAD que tenta retirar a atividade religiosa da recuperação de dependentes químicos. Vitore Maximiano diretor da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas é um dos autores da resolução. A religião tem um papel pontual e eficaz nesse trabalho de recuperação. Querem parar o trabalho da igreja, mas nós vamos lutar até o final. Infelizmente o Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas parece não querer ver a importância desse trabalho. Por isso minha crítica e desaprovação à essa medida. E estou ao lado do senador Magno Malta na luta para defender o trabalho das igrejas”  disse o deputado federal Marcelo Aguiar.

Assista o vídeo da denúncia:

Fonte: Site Oficial Senador Magno Malta